Os bons resultados na vida do jovem

Resultados
Seus resultados podem ser avaliados

Você tira boas notas? Descubra o que resultados podem significar para você e para seu futuro.

Algumas empresas de ponta buscam só os melhores. São as equipes bem preparadas que garantem inovação e resultados.

Quer ser um estagiário no Google Brasil?  Se prepare para as várias etapas de seleção e mantenha seu histórico recheado de boas notas.

A análise do histórico acadêmico é uma prática da empresa. Uma vez aprovado no processo seletivo, o contrato de estágio só se concretiza após o jovem comprovar o bom desempenho numa boa faculdade e a inexistência de notas ruins ou reprovações no histórico escolar.

Para estagiar em áreas técnicas o jovem também precisa comprovar a capacidade de aplicar o conhecimento dominado, na entrevista.

Os resultados registrados no seu histórico escolar pode ser sua credencial para concorrer a uma vaga de estágio nas empresas que vivem inovando.

surpreso?

Um currículo acadêmico com boas notas é o registro dos resultados de um bom desempenho universitário.

o que precisa e o que não precisa mudar

É o exercício do aprendizado e o domínio de conteúdos que desenvolve habilidade para raciocínios complexos, fundamental para quem quer fazer carreira nos ambientes volátil, incerto, complexo e ambíguo que as empresas operam seus negócios.

O exercício do aprendizado desenvolve o raciocínio crítico. É ele que te permite julgar o que precisa mudar; e o que não precisa mudar. O profissional que sabe qual boa ideia traz os resultados para o negócio é peça chave em startups.

ética e inteligência artificial hoje e amanhã

Resultados
As novas tecnologias: IoT; 5G; inteligência artificial (IA) e computação quântica

As novas  tecnologias estão presentes no horizonte de empresas inovadoras e prometem gerar resultados controversos.

Toda nova tecnologia pode ser usada para o bem e para o mal.

Exemplo disso é o uso bélico do avião e da fusão de partículas atômicas. Um exemplo recente é o uso da IA para identificar padrões nas redes sociais com objetivo de difundir fake news para determinados grupos de pessoas.

Os jovens que pensam e desenvolvem essas tecnologias têm que ter mais que preparo técnico científico, precisam de noções de ética muito desenvolvidas para assumirem essa imensa responsabilidade.

As novas tecnologias incorporadas nos processos das empresas são poderosas e podem impactar a humanidade com resultados menos previsíveis.

Uma IA preconceituosa pode também por em risco a própria empresa. As gerações Z e alpha estão dispostas a bloquear, cancelar e até destruir uma marca se considerarem que a marca usou dados de forma errada.

Caberá aos jovens desenvolver e usar novas tecnologias com ética. É com pensamento ético que o jovem vai ensinar uma inteligência artificial a tratar todo mundo de forma igual.

quem são os responsáveis?

A implementação de inteligência artificial para análise de possibilidade e probabilidade nos processos das empresas cresce dia a dia. Você está enganado se imagina que esse é um trabalho só de desenvolvedores e cientistas de dados.

Os responsáveis pelos impactos dessa tecnologia são os jovens profissionais de todas as áreas do conhecimento que vão: formular as perguntas certas para a inteligência artificial responder; e definir a composição do banco de dados que vai alimentar a IA.

Nesse momento em que um hiato que se abriu entre o conhecimento que as universidades ensinam e as habilidades que os mercados buscam, os jovens precisam assumir o protagonismo e buscar formação complementar.

São três os pilares de formação profissional que transformam o jovem brilhante num profissional 4.0: a educação formal, a educação complementar e a educação emocional e comportamental.

é necessário… ser

O que coloca os bons alunos na frente de uma disputa por estágio nas empresas 4.0 são competências que vão além do domínio do conhecimento. Pense e compare dois bons alunos da sua classe.

Vou dar um exemplo: dois jovens com bom desempenho tiram as melhores notas da classe. Um é parceiro do grupo; o outro, nem tanto. Pense: O que faz os dois parecidos? A motivação para buscar resultados e a disposição para um esforço extra; O que faz o grupo sentir cada um de maneira diferente? A forma como recebem e lidam com resultados menos desejados.

Os dois alunos comunicam coisas diferentes sobre si para o grupo e, sem se dar conta, cada um comunica o porquê se esforça para tirar notas máximas. Um deixa transparecer o prazer por aprender e dominar o conteúdo; o outro transparece o prazer de ser melhor que os demais. O resultado é sentido pela turma.

Não é preciso explicar o porquê as empresas buscam pessoas motivadas pelo aprender e dividir, né? O mundo corporativo não precisa de lobos solitários. As empresas 4.0 buscam jovens bem preparados e agregadores para formar sua equipes.

Os resultados dos projetos são alcançados pelo emprenho coletivo e responsabilidades divididas. Para atingir resultados as equipes com alta performance são montadas com perfis agregadores. Se você percebe que não é tão agregador, saiba que desenvolver habilidades sociocomportamentais é possível, desejável e deve ser uma meta pessoal.

pressão da urgência 

Procure desenvolver também as habilidades emocionais para lidar com a pressão no trabalho. Você vai perceber que em algum momento da sua vida profissional você vai lidar também com a urgência. Você precisará estar preparado para suportar uma pressão extra: a pressão da urgência.

Quer um exemplo? Imagine a pressão da indústria farmacêutica sobre os profissionais envolvidos no desenvolvimento de uma vacina, em tempo recorde, em plena pandemia.

As startups e as empresas do futuro privilegiam os jovens que agregam criatividade a tudo isso.

Você que está lendo é pai? Se transforme no pai parceiro e saiba o que muda o futuro do seu filho

Nathália Tramontina CEO do Portal de Ideias

Deixe seu comentário. Queremos muito te ouvir. Suas ideias nos alimentam.

Portal de Ideias – Onde uma ideia leva a outra.

Deixe uma resposta